Skip to content

O tecido dos reis

29/10/2010
tags:

Top dos tops entre os tecidos, príncipe inconteste entre todas as fibras, o linho reina soberano em nossas vidas e vestes, desde tempos imemoriais. E o faz em tramas cada vez mais sofisticadas, simples, surpreendentes.

O linho é, antes de tudo, um forte. Durabilidade pouca é bobagem. E não estou exagerando.


Imagine que em 2.500 a.C. já se cultivava e tecia o linho. As múmias egípcias, que deviam ser muito exigentes com o que levariam para a eternidade, enrolavam-se em tecido de puro linho – e jaziam séculos, envoltas em seu significado de luz e pureza. O faraó Ramsés II, ao ter sua tumba descoberta, ajudou-nos heroicamente a comprovar a extrema durabilidade deste tecido, pois o linho que o envolvia há 3 mil anos estava em perfeito estado de conservação.

Sabe as telas dos grandes pintores da antiguidade? Eram feitas de linho, pela extrema resistência desta fibra. E aí estão, firmes e fortes, intactas e indeformáveis, sustentando toda uma bagabem artística que deverá sobreviver ainda por muitos séculos. (Esta que escolhi para ilustrar o post é “O concerto de família”, de Jacob Jordaens, 1638.)

Mas se você pensa que é fácil chegar a estas peças de tecido lindo que amamos, que vemos e tocamos, saiba que a cultura do linho é extremamente exigente, com um vasto conjunto de fases e instrumentos característicos.

É toda uma história entre a natureza e o homem. Vai desde a escolha do solo, com suas características raras e essenciais; passa pela ripagem, que é a extração das sementes; daí vem o amadurecimento, a maceração, a secagem, o preparo das fibras; chega-se, então, à assedagem, que separa as fibras longas, do linho, da estopa, que são mais curtas. Depois vem a fiação, as meadas, o branqueamento. E, enfim, a urdidura da tela e o fio da trama.

Um processo longo, delicado, artesanal, que rende verdadeiras peças de arte, tecidas para encantar nossos sentidos por muito, muito tempo. Um esforço que vale à pena, fibra por fibra.

O tecido de linho, como dá para perceber em suas nobres origens, é – ainda nos dias de hoje – um tecido de alto luxo. Não à toa era chamado de “o tecido dos reis”. Mas ele faz por merecer esta designação.

É naturalmente antibacteriano, antifungicida, antialérgico. Oferece proteção contra raios UV. É altamente resistente, apesar da pouca resiliência (o linho puro amassa com facilidade). Absorve umidade 20 vezes mais do que o seu próprio peso e nunca dá a sensação de estar molhado.

Vai ficando mais forte e com melhor aparência depois de cada lavagem. Possui baixa elasticidade: não deforma com facilidade. É 100% biodegradável e não deixa resíduos.

Atualmente, encontra-se o linho em inúmeras versões, cores, texturas, misturas, combinações. Brilhante, flexível, elegante, suave, perfeito. Aliás, quando o assunto é tecido para decoração não restam dúvidas: o linho ainda reina absoluto. E olha que lá se vão mais de 5 mil anos…

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. janete permalink
    05/07/2011 02:36

    ACHO LINDO ROUPA DE LINHO, EMDORA TÁ DIFICIL ACHAR O LINHO PURO.

  2. Antonio Pires permalink
    01/05/2016 11:57

    gosto

Deixe aqui seu comentário. Será um prazer respondê-lo.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: