Skip to content

DMY Berlin 2012

19/06/2012

O post de hoje vem direto de Berlim por obra e graça do designer João Paulo Ribeiro. Ele está por lá, foi prestigiar um festival superbacana de design e resolveu compartilhar suas visões e sensações com a gente, aqui no Ouvidoria.

Abaixo, o texto que João Paulo me enviou sobre o DMY International Design Festival Berlin 2012. Espero que você curta, como eu curti, a visão criteriosa e sensível de quem é, antes de tudo, um apaixonado por design.

Genial no geral. Quando começava a pensar “já vi isso em algum lugar”, de repente, esse lugar-comum se movia automaticamente com um sensor de emoções, tocava música, se comunicava com softwares, reaproveitava energia para outros produtos, enfim. Se considerarmos sustentabilidade e funcionalidade como indispensáveis no design contemporâneo, pode-se dizer que o Festival Internacional de Design de Berlin vai além nos detalhes. A evolução continua a todo vapor, bits, hertz, etc. Tecnologia e interatividade cumprem mais uma vez um papel fundamental no design.

O festival aconteceu no hangar do aeroporto desativado Tempelhof, antigo aeroporto da Berlin comunista. Clima de oficina de avião antigo, meio underground, meio abandonado, mas, acima de tudo, transcedente. A pista do aeroporto foi entregue `a população, para jogging, passeios e corridas de bike, patins, skate, kite-skate, wind-skate, jogos de mini-golf e jardins comunitários. Os hangares e o prédio do aeroporto, que tem uma linda arquitetura russa, são usados hoje para eventos. O DMY aconteceu no hangar 2.

Destaques:

1) Produtos sem solda: dobras, encaixes.

2) Interação com tecnologia: roupas que reagem a emocões humanas, jarros de plantas que se movem, decoração que emite som controlado por um teclado midi, texturas de produtos compostas por ruídos sonoros.

3) Interação com natureza e estímulos naturais.

4) Sustentabilidade: reaproveitamentos e transformação continuam em alta. Destaque para reaproveitamento de papel / papel machê.

5) Questão energética: produtos que reaproveitam energia para outros produtos, jardins e hortas associadas a produtos de desigtn.

6) ASIA/CHINA: Interatividade, intercâmbio e um olhar carinhoso para os designers chineses, que ocuparam uma boa parte do Festival. Os designers chineses que vêm estudar na Alemanha, mas mandam produzir lá na China o resultado final de seus estudos: produtos desenhados por chineses, feito por chineses, mas com um toque alemão.

7) Interatividade entre outros festivais de design: Festival de Design de Berlin com stand na Semana de Design de Tokyo; Semana de Design de Vienna com stand na Semana de Design de Berlin… Uma rede forte, que deve também amarrar o critério mundial.

(João Paulo Ribeiro, Diretor de Arte Freelancer)

Interatividade e tecnologia

Asia tour

China design

DMY Award Winner 2012 – JOLAND DE WIEL – GRAVITY STOOL (NL)

Gravity stool

Soundplotter

Soundplotter ~ uma interatividade sonora ~

O local

Bem legal, João Paulo. Muito obrigada! Vielen dank!

 

Anúncios
No comments yet

Deixe aqui seu comentário. Será um prazer respondê-lo.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: